OLAVO REBAIXA CLERO CATÓLICO

Conheci um padre alheio a algumas práticas litúrgicas que todo bom sacerdote deveria seguir. O que ele tinha, porém, era o estilo eclesiástico. E ainda que fosse mais verborrágico que eloquente, era tradicional. Contudo, na igreja de sua paróquia, Cristo não era colocado no centro do altar para ser adorado, mas ao lado. Um dia descobri que o mármore tinha um desnível que não comportava o ajuste do crucifixo na parede. Notei então que a origem de seu erro eram razões técnicas.

Outro dia, uma amiga me contou que o padre colocou a foto da Dilma e a do candidato a prefeito da cidade na abertura de uma procissão religiosa, preterindo, novamente, o sentido dos rituais católicos. Rolei de rir, afinal, naquela época eu não tinha consciência de que nunca devemos rir de uma tragédia. Por conseguinte, conclui que sua falha advinha do fanatismo político. 

Eu poderia fazer uma lista volumosa de todos os defeitos daquele padre: verborragia, negligência à liturgia, desvio de missal, idolatria política etc. Contudo, ainda que ele fosse cheio de defeitos, chegava à igreja quase de madrugada e passava dias e dias inteiros no confessionário. Certa vez, contou-me que tinha grande preocupação em salvar as almas e por isso fazia tanta questão de confessar as pessoas, principalmente os pobres, ele tinha predileção pelos favelados.

Pergunte se algum dia aquele padre tirou uma foto de si mesmo no confessionário? Nunca! Vaidade zero. Pergunte se aquele padre sofrido, de um olho só, estava preocupado com a própria sexualidade? Nem sabia o que era isso! Aquele padre era a santidade em pessoa, apesar de todos os seus defeitos como pároco.

Olavo de Carvalho, porém, que tira fotos de si mesmo na fila do confessionário, para ostentar santidade no Facebook, e que faz postagens pornográficas na Internet, todos os dias, rebaixando a sexualidade, com insinuações grosseiríssimas sobre masturbação e outras bizarrices, acha-se em condições de rebaixar também o estilo eclesiástico, chamando de vigarista as pessoas que se valem de tal erudição.

Olavo gosta de se comparar com Santo Agostinho, mas alguém deveria lembrá-lo que o Santo se desvencilhou completamente do paganismo, antes de se tornar uma referência de “estilo eclesiástico”, apontando sempre para a “tradição cristã” e não ao esoterismo. E agora, Olavo? Santo Agostinho era um vigarista também?! 

Santo Agostinho não era vigarista, pois se converteu; Olavo, ao contrário, não tem a menor idéia do que isto significa e jamais deixou de apoiar as “tariqagens” muçulmanas de seu filho Tales e as “consultas astrológicas” de seu filho Luiz; além se ser também um adulador de membros maçonaria, como se essas teorias anátemas fossem realmente católicas. 

Olavo adora tanto a maçonaria, que não lhe bastou passar anos de sua vida escrevendo coluna para um jornal da maçonaria; adora tanto que promoveu até um filme nacional para louvar o maçon Bonifácio; adora tanto a ponto de fazer campanha para um presidente da República que foi consagrado dentro de templo maçônico.

Olavo de Carvalho, o grande vigarista é você! E a verdadeira e Santa Igreja Católica Apostólica Romana ainda irá te excomungar. Quem viver, verá!

(Maria Paulina)

Assembleia Legislativa de MG rejeita homenagem a Olavo de Carvalho

Estão caindo na real, a realidade é que ele é um celerado.
Via o website Fórum:

Deputado bolsonarista fez um requerimento para que a Comissão de Cultura da Casa formulasse uma manifestação de apoio ao “guru intelectual” do governo, a quem ele chama de “pensador brasileiro”, mas proposta foi rejeitada pelo colegiado.

Deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMJ) rejeitaram, nesta quarta-feira (29), uma homenagem ao escritor Olavo de Carvalho, um dos principais conselheiros de Jair Bolsonaro e considerado, por muitos, seu “guru” intelectual.

O deputado Coronel Sandro (PSL) protocolou um requerimento na Comissão de Cultura da ALMJ para que a Casa prestasse uma manifestação de apoio formal ao autodeclarado filósofo, a quem ele chama de “pensador brasileiro”. A justificativa para a homenagem é que Olavo teria feito “importantes contribuições ao país”.

A maioria dos membros da Comissão de Cultura, no entanto, rejeitou o pedido. O único voto favorável foi da deputada Ione Pinheiro (DEM).

Inimigo declarado da academia, Olavo de Carvalho não tem formação superior, critica pensadores reconhecidos mundialmente e tenta, através de sua proximidade com Bolsonaro, influenciar na política educacional brasileira que, para ele, foi cooptada por marxistas.